As quizilas, as réplicas e tréplicas inerentes ao pathos convivial — contraparte necessária ao pathos da distância constitutivo da linguagem da poesia — nos condenam a uma atitude de análise em que o importante é nos sentirmos implicados quer nos logros, quer nas pertinências que denunciamos.

segunda-feira, 16 de março de 2009

um belo às vezes sem sentido

Na poesia talvez não seja tão vantajoso sobrepor a compreensão ao deleite com os pormenores acidentais da linguagem (gráficos, sonoros, sintáticos, espaciais, imagéticos).
Se a maior fratura operada no texto não se atribui tão só à performance semântica de seus termos, tampouco o leitor ganha mais em ancorar-se com exclusividade em elementos costumeiramente destacáveis, “poéticos”, fomentadores da compreensão.
Apesar de nele alguma preponderância ser quase sempre redutora, talvez seja por obra do atrito des/informante entre imagem e sentido que faz o poema desencadear a fruição de um belo difícil, tão sem sentido às vezes.

Cândido Rolim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores