As quizilas, as réplicas e tréplicas inerentes ao pathos convivial — contraparte necessária ao pathos da distância constitutivo da linguagem da poesia — nos condenam a uma atitude de análise em que o importante é nos sentirmos implicados quer nos logros, quer nas pertinências que denunciamos.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

sábado, 22 de maio de 2010

discurso à margem


Embora nele imbricadas, as tradições culturais desprendem-se, aos poucos, do tecido social fundando uma irrelevância à margem do plano concreto das decisões e das celebrações historicamente avaliáveis.

Quando não flertam aqui acolá com algum fato ou circunstância humana (o cotidiano, por exemplo), cujo extrato simbólico lhe renda algum dividendo estético, estão ainda jogando com as ambigüidades próprias de um mundo à parte.

Mas, sejamos breve, isso não dispensa seus operadores de opinarem sobre quase tudo.

Cândido Rolim

crônica de um divórcio estético


“Venha surpreender-nos no ano próximo, com um novo drama, e o público fluminense lhe dará as palmas merecidas, como as dá sempre ao talento laborioso”.

Extraio, dessa recomendação de Machado de Assis um dado no mínimo curioso: a segurança com que o cronista atribui ao juízo coletivo a responsabilidade pelo julgamento de uma obra, mesmo se cogitando de um remoto jogo de ironia, bem comum ao narrador do Cosme Velho.

Transpondo a problemática para um cenário contemporâneo ou estendendo-a a esse “futuro utópico” em que “as tradições culturais terão cessado de influenciar as decisões políticas” (palavras de Richard Rorty) é válido indagar: quando se deu o recuo dessa margem confiável do público, visto aqui como testemunha de um malogro estético, como legitimado e competente observador dos produtos estéticos da época e cuja autoritas, pelo visto, coincidira em grande parte com a avaliação do crítico?

Ou melhor, a partir de quando essa avaliação, manifestada através da vaia, da indiferença ou do aplauso, passou a ser posta em dúvida e em nome de qual pressuposto estético indiscutível? Que fenômenos levaram a esse corte histórico, aparentemente irreversível, entre a fruição promíscua e sem critérios do público e a opinião de autores, críticos e scholars?

Cândido Rolim

segunda-feira, 10 de maio de 2010

steel food


Cândido Rolim

Seguidores