As quizilas, as réplicas e tréplicas inerentes ao pathos convivial — contraparte necessária ao pathos da distância constitutivo da linguagem da poesia — nos condenam a uma atitude de análise em que o importante é nos sentirmos implicados quer nos logros, quer nas pertinências que denunciamos.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

nos deslimites do leitor

emprestada à imaginação crítica de paul zumthor
uma bela definição de poesia:
“sua forma é imagem:
fruto de uma operação pessoal,
cujas regras heurísticas se fundamentam
num sedimento de experiências
mal comunicáveis como tal,
inexplícitáveis,
injustificáveis,
aprisionadas nos limites
de um indivíduo vivo”.

Um comentário:

  1. A definição contida aqui é realmente belíssima e o nascimento desse blog é ótima notícia. Serei visitante habitual. Grande abraço, Cândido. (Renato Mazzini)

    ResponderExcluir

Seguidores