As quizilas, as réplicas e tréplicas inerentes ao pathos convivial — contraparte necessária ao pathos da distância constitutivo da linguagem da poesia — nos condenam a uma atitude de análise em que o importante é nos sentirmos implicados quer nos logros, quer nas pertinências que denunciamos.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

canto paralelo


uma figura possível para a minha idéia de leitura criativa: aquela que poderia ser irmã siamesa da operação tradutória; aquela rente à leitura que se faz de lápis em punho. o poema assediado por meio de rasuras e escarificações à margem da "mancha gráfica" da página. leitura como reencenação mental de uma signagem poética particular.

não se trataria mais da leitura física apenas, fonema a fonema, palavra a palavra, sintagma a sintagma, etc., que resulta, segundo schopenhauer em mera repetição (à boca pequena, em silêncio ou à viva voz) do processo mental do autor: essa sorte de leitura obediente.


ronald augusto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores