As quizilas, as réplicas e tréplicas inerentes ao pathos convivial — contraparte necessária ao pathos da distância constitutivo da linguagem da poesia — nos condenam a uma atitude de análise em que o importante é nos sentirmos implicados quer nos logros, quer nas pertinências que denunciamos.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

à margem



Cândido Rolim

4 comentários:

  1. cândido, muito bacanas os poemas. mas posso dar um palpite gráfico? acho q ficaria bem legal um fundo preto com as letras em branco. abração

    ResponderExcluir
  2. Paulo, gratíssimo pelo toque. de fato uma grafitagem sobre fundo neutro daria um efeito ao mesmo tempo de "aprofundamento", coisa do "ab-ismo". mas tenho dúvidas quanto ao "abutres" em que os caligramas tendem a produzir pontos negros (urubus?) sobre a "res" (coisa? rês?). os textos encontram-se reproduzidos em toscas fotografias, daí a maior perda. mas vou pegar tua dica, e ver como fica. abração e valeu!

    ResponderExcluir
  3. Poeta, mestre Cândido,
    Sempre bom espiar por aqui.
    Guardo-lhe a pontual adimiração.
    Forte abraço.

    Richell Martins

    ResponderExcluir
  4. muito interesssante o abismo, o vazio existencial dos ismos
    é tudo um mesmismo
    parabéns
    tom gil

    ResponderExcluir

Seguidores